Protesto

Exigir um posicionamento de um atleta negro é injusto e cruel.

Com o recente dia da consciência negra e frente ao repugnante assassinato de um homem negro no Carrefour, é preciso discutir a cobrança sobre os negros e negras por posicionamentos. Como se fosse responsabilidade deles as respostas contra o racismo.

Continue lendo
Bélgica e Inglaterra

Esquema com 3 zagueiros mobiliza o futebol europeu

Bélgica e Inglaterra jogaram pela Liga das Nações com três zagueiros e expuseram uma nova onda tática que vem ganhando adeptos famosos.

Honrando o nome do blog, vamos discutir alguns aspectos da tática moderna. Importantes times vem adotando o terceiro zagueiro em seus esquemas e, ao contrário do que pode parecer, tornando a equipe mais ofensiva.

Esquemas táticos são cíclicos, usar três zagueiros não é uma novidade. Da mesma forma que o badalado esquema gegenpressing de Jürgen Klopp, com alta pressão sobre o contra-ataque adversário, um dia será deixado de lado. Assim como o 4-4-2, que durou (e dura) por um bom tempo nos gramados, também deixou de ser utilizado. Corinthians dos anos 2000, por exemplo.

tática clobo esporte
Créditos: globoesporte.com

Rápida passagem pela história. Ao longo do tempo o número de zagueiros sempre aumentou. Desde de a pirâmide com dois zagueiros, depois três com o W-M, e, enfim, quatro zagueiros como hoje.

Só lembrando, o W -M utilizava três na defesa, mas de forma bem mais espalhada, bem diferente do atual ou do 3-5-2 de Bilardo, na Argentina.

Carlos Bilardo na Seleção Argentina, acrescentou um zagueiro, ou seja, três centrais e percebeu a possibilidade de se tirar os laterais, pois não haviam mais pontas. Desde Nílton Santos os laterais foram transformados em meio campistas.

Assim o 3-5-2 tomou forma e a Argentina terminou campeã e 86 com três zagueiros e Alemanhã Ocidental também com três atrás, campeã em 1990.

O esquema não durou tanto e em 1994, voltaram os quatro zagueiros com Parreira e o Brasil campeão, permanecendo até agora, somente com variações do meio pra frente, como 4-3-3, 4-1-4-1 etc.

Nesse meio do caminho, em 2002, o Brasil de Felipão foi campeão com três zagueiros, e uma equipe super defensiva, além dos três centrais, os laterais compunham bem a defesa, mais dois volantes à frente, com Ronaldinho, Rivaldo e Ronaldo mais livres no ataque.

O que se percebe agora é o retorno do esquema com três zagueiros em alguns dos principais times da Europa, porém não, necessariamente, defensivos.

O Arsenal de Arteta vem atuando com a 3-4-3. Tierney, Gabriel e Holding fixos atrás, fazem a saída de bola até o meio campo, mas não avançam, enquanto Bellerín (que é lateral de origem) atua como ponta pela direita e Saka joga pela ponta esquerda. Quando se defende os pontas fecham as laterais em um 5-2-3 e quando atacam, Saka vira um quarto atacante, 3-3-4 ou 3-2-5.

Lampard tem alternado o esquema do Chelsea conforme o adversário, as vezes com o 4-3-3 clássico contra times mais fracos ou com o 3-4-3 contra equipes do Big Six, por exemplo.

E neste último domingo (15), a Bélgica bateu a Inglaterra por 2 a 0 na Liga as Nações da UEFA. Ambas as seleções com três zagueiros.

As equipes estavam praticamente espelhadas em um 3-4-2-1, defendiam com cinco e atacavam com cinco também

A seleção brasileira contra a Venezuela na sexta (13), experimentou um sistema híbrido que ainda precisa ser melhorado.

No papel o Brasil jogava com quatro na zaga, mas na prática, contra a fraca Venezuela, o lateral esquerdo Renan Lodi funcionava como ponta, enquanto o lateral direito Danilo como um terceiro zagueiro ou primeiro volante mais pela direita.

Essa forma híbrida não funcionou no ataque (Brasil ganhou no sufoco de 1 a 0). Enquanto a defesa sequer foi testada. A improvisação de lateral em ponta ou em zagueiro não trouxe a mobilidade necessária e enfraqueceu o ataque. Mas será interessante ver esse esquema contra o Uruguai (próximo jogo das eliminatórias para a Copa de 2022).

De qualquer forma, estamos vivenciando o surgimento “de novo” do esquema tático com os três zagueiros e vamos poder ver quais serão os efeitos disso nos principais campeonatos e copa do mundo.

Gandula

Na miséria corintiana, a melhor jogada foi a minha.

Confesso que não me lembro de ter corrido tanto em um jogo de futebol. Como conseguiram, 22 profissionais, jogarem a bola mais fora do que dentro de campo? Acreditei que assistiria um espetáculo, porém os atores não seguiram meu roteiro.

Continue lendo
messi em má fase

La Liga precisa acordar ou corre o risco de se tornar coadjuvante

A nova temporada espanhola começou no último dia 12. Na primeira rodada ainda sem Barça e Real. Enquanto o último estreou dia 20 com um empate sem graça de 0 a 0 contra o Real Sociedad, o primeiro joga somente dia 27 contra o Villarreal.

Continue lendo
Encerramento PL

Temporada 2020/21 vai começar !

Sem esquecer que ainda estamos em uma pandemia, vamos começar mais uma temporada do futebol internacional, que apesar de sem público, promete ser uma das melhores e mais disputadas dos últimos anos.

Como dizem os sábios, o futebol é coisa mais importante entre as coisas menos importantes. A pandemia não acabou, milhares de pessoas morrem diariamente vitimadas pela Covid-19. E mesmo com este triste cenário, vamos começar uma nova temporada de futebol. Porque a vida é assim, o futebol se renova a cada ano, mas nossa existência se renova a cada respiração. Vamos conviver com a Covid e com todos os demais obstáculos previsíveis e imprevisíveis. Seguiremos dando nosso melhor para a sociedade e o mundo, porém, cientes da impermanência da vida.

Feita a necessária introdução, vamos tratar da próxima temporada que se avizinha!! 

Continue lendo

Sportswashing ou política do pão e circo

PSG da França é um grande exemplo, o Catar usa o esporte para melhorar sua imagem perante o mundo. Mas o sportswashing também pode ser vistos para aliviar ditaduras, como no Brasil.

Sportswashing ou soft power são termos relativamente novos, porém o conceito é velho. Já foi chamado da política do pão e circo, com o esporte no papel do circo. Governantes investem no futebol e, com isso, desviam o foco de questões contraditórias de suas gestões.

Continue lendo
Encerramento PL

E termina mais uma Premier League

Marcada pela pandemia e pelo Liverpool, Premier League 2019-20 mostrou porque é a liga mais forte do planeta.

Foi emocionante até o último minuto, literalmente. A PL 2019/20 teve decisões na última rodada sobre rebaixamentos, vaga na Liga dos Campeões, vaga na Liga Europa, luva de ouro, artilharia e até aposta se o Lingard iria fazer um gol ou não na temporada.

Continue lendo

Leeds: Loucos pelo Bielsa.

O que Marcelo Bielsa tem de louco, tem de apaixonante. Leeds que o diga. Definido o acesso do Leeds para a Premier League, como não tratar do trabalho de seu treinador?

Marcelo Bielsa à frente do Leeds acaba de confirmar o título da EFL Championship e a promoção para a primeira divisão do futebol na Inglaterra.

Continue lendo